Amy Jade Winehouse ( 14/09/83 - 23/07/11 )

Eu sei que isso não foi o fim, que você apenas passou para a sala seguinte. Eu sou eu, você é você, e a antiga vida que vivi tão maravilhosamente embalada pela sua voz permanecerá intocada, imutável. O que quer que você tenha sido antes do dia 23/07/11 para mim, ainda será. Ainda vou te chamar de Wino. Vou falar de você da maneira que sempre falei. Prometo não mudar o tom, nem abaixar a cabeça. Não vou usar nenhum ar solene ou de dor. Vou brincar, sorrir, pensar em você, rezar por você. Vou deixar que o seu nome seja uma palavra maravilhosa no meu dia-a-dia, como sempre foi. Farei de tudo para que seja falado sem esforço, sem fantasma ou sombra. E porque te iria te esquecer? Só por que será esquecida pelos outros? Jamais. Confesso que chorei muito. Chorei escondida no banheiro, de baixo das cobertas. Confesso também que me estressei com muitas pessoas, que diziam coisas como “você nunca nem viu ela pessoalmente, nem falou com ela, nem nada. Ela nem sabe que você existe” ou “HAHA quem mandou escolher como ídolo uma drogada”. Realmente, eu nunca vi/falei com ela, mas realmente precisa?
Eu fico triste, eu choro, eu fico em luto pelo talento dela. Muitos julgam, apontam o dedo se baseando em uma gota de informação, sem se interessar em saber o que dizia o resto do oceano. Eu sei que ela usava drogas, eu sei que se afundava nas bebidas, mas diante de todo o talento e personalidade dela você acha mesmo que ela fazia isso por que ela era uma louca? Leia a letra de “Wake Up Alone”, de “Back to Black” e depois pense um pouquinho. Eu admirava seu estilo, sua atitude, suas letras, sua voz, seu jeito “FODA-SE”. E quando eu me sentia sozinha, era nas suas músicas que eu buscava consolo. Vocês nem imaginam o quanto é maravilhoso num momento de fraqueza, ver que você não ta sozinha, ver que tem alguém passando pelas mesmas coisas que você. E eu colocava seu DVD para tocar, arrumava o penteado igual o seu, carregava meus olhos de maquiagem, fechava meus olhos e toda minha dor que parecia não ter fim, virava apenas um detalhe diante da energia positiva que você me transmitia. Eu fiz meu pai gostar de você, minha mãe, meu irmão, e até o meu namorado, que só tinha ouvidos para o Tupac. Enquanto eu viver, irei espalhar sua música por aí, irei lembrar de você com carinho. Enquanto eu viver, você viverá dentro de mim. Eu sei que a sua morte foi como um intervalo, você está bem próxima, na outra esquina. E eu sei, eu sei que vai ficar tudo bem.
Escrito por Rebecca Oliveira


R.I.P.  Amy Winehouse